Mostrando postagens com marcador Literatura. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Literatura. Mostrar todas as postagens

01 fevereiro, 2021

[Lista] Plano de Leitura - Módulo 1 (Literatura)

 


OBRA 
STATUS
RESENHA


VIII a.C. 
Homero – Ilíada, 


lido ebook 

falta ver uns filmes para dar mais profundidade à experiência





VIII a.C. 
Homero –  Odisseia


lido ebook

falta ver uns filmes para dar mais profundidade à experiência

Documentário : A Odisseia (1996) - muito bom.







VII a.C. 
Safo – Poemas




Lido  físico - terminei de ler em 07/01/2020, tradução de Guilherme Gontijo



https://escamandro.wordpress.com/

VI a.C. 
Esopo – Fábulas

Lido  físico


Fábulas de Esopo  - versão completa Cosac Naify (linda edição), mas sem capa de tecido.


Achei a leitura bem legal e fácil recomendo sinceramente.

O legal dessa edição são as fábulas politicamente incorretas: racistas, sexistas, classistas etc. comuns na época e banidas hoje em dia.









VI a.C. 
Esquilo – 





  • Os sete contra Tebas (467 a.C.), 


  • Prometeu acorrentado (465 a.C.), - terminei em junho/2020: uma leitura com trechos interessantes, ainda que o formato teatral seja um pouco maçante. vide palestra de de J.M. Nasser
  • Agamemnon (458 a.C.)



V a.C. Píndaro – Odes 
(498-454 a.C.)



achei uma cópia - só falta ler

comprei em versão
física em 2021 (capa dura)



V a.C. 
Sófocles – 

  • Antígona (442 a.C.), 
  • Édipo rei (429 a.C.), 
  • Édipo em Colono (406 a.C.)




Antígona (442 a.C.), 

Édipo rei (429 a.C.) - lido em janeiro de 2021. Ótimo drama.

Édipo em Colono (406 a.C.)

  • Antígona (442 a.C.), 


  • Édipo em Colono (406 a.C.)



V a.C. 
Eurípedes – 

  • Medeia (431 a.C.), 
  • Electra (420 a.C.), 
  • As troianas (415 a.C.), 
  • As bacantes (406 a.C.)




  • Medeia (431 a.C.) - lido em fevereiro/2021 - mais um drama interessante 

Electra (420 a.C.), 

As troianas (415 a.C.), 

As bacantes (406 a.C.)




  • Electra (420 a.C.), 

  • As troianas (415 a.C.), 

  • As bacantes (406 a.C.)




V a.C. 
Aristófanes – 
  • As vespas (422 a.C.), 
  • Lisístrata (411 a.C.), 
  • As rãs (405 a.C.)


As vespas (422 a.C.)

Lisístrata (411 a.C.)

As rãs (405 a.C.)

As vespas (422 a.C.)

Lisístrata (411 a.C.)

As rãs (405 a.C.)


Fonte: José Monir Nasser


 

 ________________________________________________________________

Fonte orginal: https://entreclassicos.wordpress.com/plano-de-leitura/

contudo acabei fazendo alguma modificações...

26 setembro, 2020

[Livro] O Melhor do Teatro Grego:(2013): Prometeu Acorrentado

Photo by cottonbro from Pexels

Introdução




Na cosmologia grega, Prometeu era um deus que roubou o fogo de Zeus para salvar os homens da extinção. 


Essa ofensa provocou a ira de Zeus, o maioral entre os deuses do Olimpo, que eram a elite do deuses na época. 


Fulo da vida, Zeus acorrentou Prometeu a um rochedo, com um abutre comendo seu fígado todos os dias por toda a eternidade, sem direito a férias ou aposentadoria. 

Na prática ele ficou sofrendo por alguns séculos até que Hércules nasceu, cresceu e resolveu libertá-lo. O curioso é que Prometeu podia ver o futuro e mesmo assim fez tudo que fez - ou seja: ele podia se arrepender mesmo de antes fazer alguma coisa e mesmo assim preferiu fazer e não se arrepender.

A partir daí, o flagelo de Prometeu passou a ser uma representação mítica da audácia humana somada a Lei de muphy e a falta de planejamento.


Melhores Frases



  • a teimosia de Prometeu é equivalente ao rigor de Zeus.
  • teu libertador ainda não nasceu.
  • é sempre duro o coração dos novos reis.
  • Nossas lamentações não poderão salvá-lo; não te fatigues gemendo por coisa alguma.
  • Sê fraco, se te agrada, mas não me censures se te pareço impiedoso e exigente.
  • Ignoras, tu, cujo intelecto é tão sutil, que as línguas atrevidas recebem castigo?
  • Que temeria quem não poderá morrer?



Conclusão



Você pode viver bem sem nunca ter lido nada sobre os gregos antigos, mas pode deixar de entender muita coisa (referências em: filmes, livros técnicos, conversas mais profundas, psicologia etc), por causa disso.

Grande abraço!


P.s.: recomendo o comentário em aúdio da Cultura Fm, que também menciona a influência dessa peça na música.
_____________________________





09 fevereiro, 2019

[Livro] Ilíada (VIII a.C.)/ Homero

 





Introdução 




Estou me esforçando para ter leituras mais profundas e difíceis, seguindo essa lista cronológica.

Li A Ilíada com a famosa tradução de Carlos Alberto Nunes: a linguagem desse erudito não é fácil e o dicionário no kindle não abarcou todas as expressões: isso me dá vontade de ter um dicionário eletrônico Hoauiss para poder carregar, mas no momento é inviável.

"O traçado da Ilíada é complicado, sendo mais dificilmente apreendida a ideia fundamental, que empresta unidade ao poema. Tendo tomado como tema um episódio secundário, secundaríssimo, que dura apenas alguns dias numa campanha de dez anos, como seja a rixa entre os dois chefes Aquivos, por causa de uma escrava, conseguiu Homero, de fato, apresentar-nos em painéis gigantescos toda a Guerra de Troia, cujos acontecimentos nos são rememorados com habilidade nos primeiros cantos, ficando-nos, no fim da leitura do poema, que termina com a morte e os funerais de Heitor"

Outra dificuldade da leitura é minha falta de conhecimento profundo da mitologia grega, a qual a Ilíada faz muitíssimas referências. Essa camada do texto permanece um tanto quanto inacessível para mim.

Mesmo com as dificuldades acima, é prazeroso terminar de ler uma obra clássica. Se eu conseguir ler a lista inteira, pretendo voltar ao começo e repetir mais madura a leitura. 

O vídeo abaixo pode ajudar a entender a estória muito melhor do que eu explicando:




Lições 


"carros vazios puxavam, cortando, ruidosos, o campo, sem seus aurigas valentes, os quais sobre o solo jaziam, vista mais grata aos abutres, por certo, que às tristes esposas."

"É necessário, com ânimo firme, levar para o túmulo os que tombaram, chorando-os apenas o espaço de um dia. "



Conclusão 


De toda sorte, se eu pudesse resumir, diria que é uma poema que narra uma batalha épica entre duas potência gregas da antiguidade. Uma guerra que começou por causa de um adultério (ou pela vontade dos deuses) e ceifou a vida dos maiores heróis dessa época ao longo de uma década.

A tristeza é que tudo isso poderia ter sido evitado: milhares morreram por causa de uma sucessão de ofensas que foram crescendo geometricamente em gravidade: uma falta de respeito dá origem a um adultério, que gera um rapto, que gera um conflito político, que gera uma guerra, que gera um morticínio. Tudo por causa de uma trepada...

Enfim, recomendo a leitura.

Próximo Livro: Odisséia, do mesmo autor.

"O traçado da Odisseia é de mais fácil apreensão, e, digamos, artisticamente de melhor planejamento, pela disposição concêntrica, em que o próprio herói do poema relata suas aventuras durante os dez anos de peregrinação, no empenho de retornar para a pátria, depois de conquistada, saqueada e destruída Troia, "e de terem sido massacrados ou vendidos como escravos seus moradores.

Grande abraço!  

______________________________________________________________


Dânaos: em Homero, temos vários nomes para designar os gregos genericamente: dânaos, aqueus (ou aquivos ou acaios), argivos e helenos