Arquivos

Mostrando postagens com marcador 2011. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador 2011. Mostrar todas as postagens

19 junho, 2020

[Doc] Anderson Silva: Como Água (2011)




O filme narra os bastidores e a luta de Anderson contra o norte-americano Chael Sonnen, ocorrida e 2010 nos Estados Unidos

Apesar de um documentário sobre MMA, o foco parece ser a campanha publicitária criada para promover o show.

Mesmo sendo decepcionante no que se refere ao treinamento do protagonista e estar cheio de cenas inúteis como alguém dirigindo um carro ou a filmagens de uma das asas de um avião durante um voo, é um bom retrato de como um lutador brasileiro é celebrado pelos gringos.

Conforme explica Cinema Com Critica:

Assumindo-se como “um cara legal”, imagem satisfatoriamente reforçada pelo documentário, Anderson parece não ligar para às ofensas de ser chamado de câncer para o esporte, embora resista bravamente a explodir nas “perguntas estúpidas” realizadas durante uma teleconferência, seguidas repetidamente de um seco e divertido “sim” ou “não”. Aliás, como não esboçar um enorme sorriso na sua presença de espírito na coletiva de imprensa, trajando uma roupa rosa, supostamente sugerida pela esposa, e contrariando as instruções de Dana de virar para frente (ao invés, ele permanece encarando Sonnen, que por muito pouco ou não contém a raiva ou não se esvai em gargalhadas). Por outro lado, há uma dimensão agridoce no distanciamento obrigatório da família e no relacionamento fraterno proveniente do convívio ininterrupto com os demais lutadores, sobretudo seu amigo Minotauro ou o pupilo Damaso Pereira.

Enfim, é um filme chato e pouco instrutivo para algum amante de artes marciais.

Não recomendo.

Grande abraço


_________________________________________

11 outubro, 2019

[Livro] Como ganhar mais com seu dinheiro (2011)/ Halfeld, Mauro

 

1 - Introdução


Mais um post, mais uma resenha.


Livro bem legal, mas superado.


Conforme cita o autor e isso resume essa obra:

"Ser feliz em casa é o resultado final da ambição.”

2 - Lições


Na hora de investir ou de escolher um produto financeiro, prefiro produtos claros e simples e dispenso os penduricalhos. Qual o motivo? Para facilitar a comparação com os concorrentes. Afinal, produtos complexos e cheios de novidades são desenhados exatamente para dificultar a comparação com os concorrentes. São feitos para confundir. E quase sempre esses produtos exóticos garantem boa margem de lucro para quem vende, não para quem compra.


Mantenha uma boa reserva em renda fixa antes de se aventurar no mercado de ações. Digo isso porque ainda vejo com muita frequência alguns novatos em bolsa terem de vender rapidamente os papéis só para cumprir algum compromisso financeiro em casa. Normalmente, essas vendas feitas sem planejamento são realizadas num momento infeliz, gerando prejuízos. Gosto mais da estratégia de investir aos poucos, gradualmente montando uma carteira bem diversificada de ações e mantendo esse investimento por muitos anos. Assim, você pode se isolar das grandes flutuações do dia a dia.


Eu prefiro pensar que comprar ações não é muito diferente de comprar imóveis, ou seja, é um investimento de longo prazo. A diferença é que, no mercado de ações, tem um corretor que a cada minuto faz uma avaliação do seu patrimônio, e isso acaba gerando enorme ansiedade nas pessoas, o que realimenta esse processo de nervosismo. O desafio, então, é você se isolar desse sentimento de curto prazo e mirar lá na frente, daqui a dez ou vinte anos.


Que os clientes sortudos e os administradores de consórcios me perdoem, mas não consigo ver justiça nesse sistema. Falta equilíbrio: é muito bom para os primeiros a serem sorteados e muito ruim para os últimos.


Vale a pena comprar terrenos e construir lojas comerciais para alugar? Vale, sim. Essa estratégia costuma ser muito lucrativa tanto no curto quanto no longo prazo, mas você precisa ser um especialista nisso: tem de aprender a escolher os melhores terrenos, principalmente em bairros emergentes. Ruas servidas por ônibus são sempre melhores, sem falar que vale a pena pagar mais caro pelos terrenos de esquina – eles darão belas lojas, a serem muito disputadas pelos futuros inquilinos. Além disso, convém investir numa arquitetura moderna, com largas vitrines, cores sóbrias e vãos amplos, livres. Na medida do possível, compre terrenos mais amplos para garantir vagas de estacionamento para os futuros clientes. Se colocar em prática algumas dessas dicas, você ganhará muito dinheiro, garantindo uma bela renda por toda a sua vida e também para os seus herdeiros.


Comprar apartamentos na planta para revender dá muito certo nos períodos de forte alta nos preços do mercado imobiliário, mas, na hora em que os preços param de subir, a tática fura. Outro detalhe importante é que você vai acabar assumindo despesas de comercialização dos imóveis tanto na venda quanto na compra.


Em tempo, a boa dívida serve exatamente para isso: para financiar com prazo longo e juros baixos. Dívida ruim é aquela com juros altos e prazos curtos, como a do cheque especial e a do rotativo do cartão de crédito – jamais tente financiar uma obra com essas fontes de curto prazo.


Do ponto de vista financeiro, comprar à vista um imóvel seminovo, com três a dez anos de vida, é o melhor negócio, pois você pode negociar um desconto com o vendedor, que, nesse caso, geralmente não é um profissional do mercado. Além disso, você tem como verificar os principais defeitos do imóvel antes de tomar sua decisão. O problema é que essa hipótese de compra à vista só serve para quem já tem um bom patrimônio ou para quem tem grande capacidade de poupar no curto e no médio prazos. 


Uma alternativa é investir em imóveis: comprar pequenas casas, reformá-las e alugá-las. Com a renda, você pode reaplicar no próprio negócio. Quanto mais simples a casa, mais rentável tende a ser a estratégia, porque no Brasil, ainda hoje, o pobre paga um aluguel proporcionalmente maior do que o pago pelo rico.


Ao nos aposentarmos, reduzimos algumas despesas, como os gastos com transporte e roupa social. Esperamos que nossos filhos já estejam independentes, mas outras despesas aumentam (com lazer e gastos com saúde, por exemplo). Por isso, vou estimar que dê para viver bem com 80% de sua última renda da vida pré-aposentadoria.


Uma boa meta é ter quinze vezes o valor da sua renda anual reservado para aposentadoria, tudo isso aplicado de uma maneira bem conservadora. O esforço é grande, mas vai valer a pena no final.


Vou insistir numa ideia consagrada pelo Warren Buffett, talvez o mais competente investidor dos nossos tempos: “Nunca invista em algo que você não entenda completamente e fuja dos produtos que geram dúvidas.”


Taxa de administração alta em investimentos de longo prazo é como manter um furo no bolso: no final, vai sobrar pouco para você.


Não é o quanto você ganha que vai torná-lo bem-sucedido financeiramente: é como você administra o seu dinheiro.


“Pai rico, filho nobre, neto pobre.” Essa antiga frase está cada vez mais presente, já que, se o Brasil é um país que ainda permite que muitas pessoas simples se tornem ricas em poucos anos, ainda costuma impor um duro castigo para quem não se dedica o suficiente.


3 - Conclusão 


Aprendi muito com Mauro Halfeld e ele sempre vai ser um grande professor para mim.

Bom livro, mas está desatualizado (ele é de 2011).

Grande abraço!

_____________________________________________________________




26 agosto, 2019

[Livro] Checklist - Como fazer as coisas benfeitas (2011) Atul Gawande




Obs.: não consegui achar o ebook nacional do livro e a versão física está custando valores astronômicos. Então, produzi esse post com base em resenhas, mesmo sem ter acesso a obra original. 

Introdução



Não analisamos fracassos rotineiros em educação, em advocacia, em programas governamentais, no setor financeiro e em muitas outras áreas. 

Não examinamos os padrões de nossas falhas recorrentes nem desenvolvemos e aprimoramos possíveis soluções para esses erros reiterados.

Atul Gawande é um cirurgião de Harvard, escritor (este é seu terceiro livro) e cronista da revista The New Yorker. 



O livro totaliza 221 páginas, nas quais o autor intercala o relato de casos vividos por ele ou por outros profissionais de saúde, com situações ocorridas em outros cenários. 

Problemas ocorridos na aviação, no sistema financeiro, em restaurante, show de música e na construção civil são utilizados para demonstrar o valor de um checklist. 

Uma anormalidade pode evoluir para um quase acidente (situação anormal que não causou dano) ou mesmo um acidente dependendo da atuação do profissional em seguir adequadamente os procedimentos preconizados para aquela situação anormal. Manter a calma e seguir o preconizado é mais eficaz. 

A boa comunicação e o trabalho em equipe são mais eficazes que tentar realizar um ato "heroico" ou de extrema habilidade técnica.

Durante um ano, Pronovost e seus colegas monitoraram as ações dos profissionais usando o checklist de uso de cateter que ele desenvolveu. Os resultados foram tão drásticos que eles chegaram a questionar suas descobertas. A taxa de infecção de cateteres usados por 10 dias caiu de 11% para zero. No intuito de confirmar as conclusões, acompanharam os pacientes por mais 15 meses. Apenas duas infecções ocorreram nesse período. Segundo seus cálculos, somente nesse hospital o checklist havia evitado 43 infecções e 8 mortes, alem de reduzir custos em 2 milhões de dólares.

Conselhos Úteis



A ajuda da aviação no uso correto do checklist é o ponto de partida que Gawande usa para explicar a real diferença entre checklist e uma lista de verificação (tradução literal do inglês). 


O checklist utilizado em sistemas complexos como a aviação é uma ferramenta auxiliar à tomada de decisão. Citando um veterano piloto, o autor lembra o fato de que o checklist deve significar parte da "filosofia de voo" de uma companhia aérea. Gawande fez entrevistas e visitou várias indústrias, e com a aviação aprendeu que existem checklists bons e ruins. Os ruins, em geral, são vagos, imprecisos, longos demais, difíceis de usar e pouco práticos. "São feitos por burocratas que não têm ideia das situações em que serão usados" (página 192). 

Nenhum piloto assina o checklist, mas todos devem segui-lo corretamente para evitar acidentes e superar eventuais emergências. 

Numa passagem do livro, Gawande descreve seu diálogo com uma enfermeira, a qual, ao perguntar sobre o checklist, recebe como resposta um papel com os itens ticados corretamente. Gawande, de forma incisiva, retruca: "Deve ser um Checklist verbal, um Checklist de equipe" (página 120).

De acordo com a filosofia que orienta o checklist, este deve ser aplicado nas pausas e momentos em que o contexto exija. 

Em determinadas situações, o hospital ou serviço deve ter um checklist específico para um determinado tipo de cirurgia (cirurgia com uso de instrumental múltiplo, por exemplo) ou situação clínica (acesso venoso profundo ou parada cardiorrespiratória, por exemplo). 

Um checklist não pode ser extenso. Uma regra prática muito comum é mantê-lo entre cinco e nove itens, que é o limite da memória operacional. Mas Boorman não sugere que essa ideia seja seguida à risca. “Tudo depende do contexto”, disse ele. “Em algumas situações, só se dispõe de 20 segundos. Em outras, talvez, haja vários minutos disponíveis.


Recomendações comuns:



Primeiro, devemos considerar as necessidades e os interesses dos que dependem de nós acima de nossos próprios interesses.
Segundo, almejaremos a excelência em nossos conhecimentos e qualificações.
Terceiro, procederemos de modo responsável em relação às nossas atribuições.
Os aviadores acrescentam uma quarta expectativa: disciplina para seguir procedimentos prudentes e atuar em conjunto com outros membros da equipe.


O checklist deve ser aprimorado até que esteja reduzido aos itens críticos absolutamente essenciais: O checklist deve ser datado de sua última atualização e sempre deve ser revisto quanto à sua adequação à evolução científica e tecnológica.



A OMS deu um primeiro passo ao apresentar o Checklist Cirúrgico, extensamente debatido, com inúmeras versões inicialmente, pois já era adotado de alguma forma no Toronto General Hospital, na Johns Hopkins e no grande grupo hospitalar californiano (Kaiser Permanent). Mesmo após os resultados positivos da pesquisa realizada em oito hospitais de países, culturas, fatores econômicos e sociais distintos, fica claro que o checklist proposto pela OMS é um checklist básico, e que a adaptação e modificação deste instrumento são estimuladas tanto pela OMS, quanto por Gawande (página 115).

Conclusão


Segundo Gawande: 


"os checklists não devem se converter em imposições calcificadas, que inibem em vez de ajudar. Até os checklists mais simples exigem revisões frequentes e aprimoramentos constantes. Os fabricantes de aviões inserem a data de emissão em todos os checklists, pois o checklist deve mudar ao longo do tempo. Afinal, é apenas uma ajuda. Se não contribui para a efetividade dos procedimentos, algo está errado..."(página 193).


Diante da complexidade do mundo é nosso dever adotar medidas reduzir o risco de nossas falhas. Quando examinamos com cuidado, constatamos que até os melhores profissionais cometem os mesmos erros. Conhecemos os padrões. Também sabemos quais são as consequencias. É hora de tentar algo novo: O Checklist.


Grande abraço!


_______________________________________________________

  • https://proqualis.net/resenha/checklist-como-fazer-coisas-benfeitas
  • http://www.sendme.com.br/09MEUSBLOGS/DESAVISADO/Extratos/checklistscomofazerascoisasD&S.htm
  • https://www.trabalhosgratuitos.com/Outras/Diversos/RESENHA-CR%C3%8DTICA-CHECKLIST-COMO-FAZER-AS-1308584.html
  • http://www.martinsfontespaulista.com.br/anexos/produtos/capitulos/657436.pdf

18 julho, 2019

[Livro] Os Segredos Das Pessoas Que Nunca Ficam Doentes (2011)/ Gene Stone

 
Acervo pessoal: foto do meu exemplar

1 - Introdução 


Li alguns anos atrás e, apesar de ser uma lista curiosa, é como a vida: não há garantias.

Dos 25 conselhos do livro, a maioria é simples e prático. 

Alguns, contudo, são conflitantes, mas cabe ao leitor escolher qual ou quais empregar.

2 - Os 25 "Segredos"


  • SEGREDO 1- ZONAS AZUIS
  • SEGREDO 2- LEVEDURA DE CERVEJA
  • SEGREDO 3- REDUÇÃO CALÓRICA
  • SEGREDO 4- CANJA DE GALINHA
  • SEGREDO 5- BANHOS FRIOS
  • SEGREDO 6- DESINTOXICAÇÃO
  • SEGREDO 7- COMER SUJEIRA
  • SEGREDO 8- AMIGOS
  • SEGREDO 9- ALHO
  • SEGREDO 10- EVITAR GERMES
  • SEGREDO 11- BONS GENES
  • SEGREDO 12- REMÉDIOS VEGETAIS
  • SEGREDO 13- ÁGUA OXIGENADA- H2O2
  • SEGREDO 14- LEVANTANDO PESO (vide nota 1 ao final do texto)
  • SEGREDO 15- SONECA
  • SEGREDO 16- EQUILÍBRIO DO PH
  • SEGREDO 17- DIETA BASEADA EM VEGETAIS
  • SEGREDO 18- ATITUDE POSITIVA
  • SEGREDO 19- PROBIÓTICOS
  • SEGREDO 20- CORRIDA
  • SEGREDO 21- ESPIRITUALIDADE
  • SEGREDO 22- SEM ESTRESSE
  • SEGREDO 23- ALONGAMENTO
  • SEGREDO 24- VITAMINA C
  • SEGREDO 25- IOGA

3 - Conclusão


Você não precisa ler muita coisa para pô-los em prática, afinal são conselhos simples em sua maioria e você já se utiliza de vários sem perceber.

Não é um livro essencial, mas é interessante.

Recomendo para curiosos.

Grande abraço!

_____________________________________________________________________

Nota 1 : 

Sobre o segredo 14, Sasha Lodi tomava os seguintes suplementos:



  • Vinagre orgânico de maça;
  • Multivitamínico,
  • Pygeum;
  • ´CoQ10;
  • Condoitrina;
  • Açafrão;
  • proteína em pó;
  • óleo de linhaça;
  • óleo de germe de trigo;
  • óleo de semente de abóbora;
  • glutamina;
  • pó de C-éster;
  • levedura de cerveja;
  • mono-hidrato de creatina
  • gengibre;
  • raiz de cúrcuma fresca;
  • canela;
  • chá-verde;
  • suco de abacaxi



Obs. minha: Atualmente o trigo tem gozado de má reputação e tem sido considerado como nocivo a uma alimentação saudável, clique aqui para entender melhor os argumentos.


__________________________________________________________

Sites Consultados:


  • http://envelhecermuitobem.blogspot.com.br/2014/01/novo-livro-os-segredos-das-pessoas-que.html
  • http://www.lowcarb-paleo.com.br/2012/01/trigo-nosso-maior-inimigo.html


03 março, 2018

[Doc] Uma História do Cristianismo (2011)/ Diarmaid MacCulloch

 




Vi a excelente série (nota 9,0) de forma completa (6 episódios de 1 hora) e finalmente percebi que a finalidade da religião é trazer esperança aos seres humanos

MacCulloch é excelente na narração e nas perguntas que faz durante os episódios. É muito bom ter um especialista no assunto conduzindo um documentário e pude aprender muito durante esses curtos "encontros" .


Uma parte bem legal é o episódio que mostra os restos de uma antiga igreja cristã na China.

Eis os episódios:

  • Episódio 1: Cristianismo primitivo
  • Episódio 2: Igreja Católica Apostólica Romana
  • Episódio 3: Igreja Ortodoxa
  • Episódio 4: Reforma Protestante
  • Episódio 5: Neo-Pentecostalismo e adaptações pelo mundo
  • Episódio 6: Agnosticismo


Enfim, foi muito bom assistir e perceber como um pequeno grupo de judeus gerou religiões que agregam bilhões e como muito da temática original foi distorcida com o tempo, principalmente em razão da ganância humana.

Fica a dica!

30 junho, 2017

[Livro] Preparo Emocional Para Passar Em Provas e Concursos (2011)/ Alexandre Maia



Introdução


Não chega a ser uma leitura essencial, mas ajudou bastante na minha preparação, pois o pequeno livro (160 páginas) foca em aspectos que esquecemos, mas que fazem diferença durante as horas que ficamos sentados fazendo uma prova ou estudando. 

Vou destacar os três que achei mais importantes nessa leitura.

Conteúdo em Destaque

>> Gestão Emocional


O primeiro aspecto é o emocional. Durante a preparação temos cobranças externas (família, amigos, namorada etc) e internas (nós mesmos) e isso nos deixa ansiosos


O livro trabalha essa e outras emoções tornando mais fácil lidar com elas, já que elas nunca desaparecerão.

>> Respiração


O segundo aspecto é a respiração. Normalmente, o ser humano adulto respira errado e respirar corretamente melhora nosso desempenho. As práticas respiratórias trazem centramento, tranquilidade, autoconfiança, energia e consciência, além de criar os bons hábitos da disciplina, da
concentração e do foco

>> Alongamento


O terceiro aspecto é relativo ao alongamento. Esquecemos de alongar no dia-a-dia (alongamentos simples já ajudam bastante) e isso prejudica nosso rendimento.

Minha experiência 


Toda vez que faço uma prova, normalmente vou ao banheiro (e também aproveito para beber água) a cada 50-60 minutos. No banheiro, normalmente faço alongamentos básicos e acabo me sentindo mais bem disposto para continuar com a prova. Tudo isso não leva mais que 10 minutos.

Conclusão


Saber dosar as emoções, respirar corretamente e alongar de tempos em tempos ajuda. 


E quem dispensaria qualquer tipo de ajuda a si mesmo?

Grande abraço!


_____________________________________________________________


Exemplos de alongamento.


Sites Consultados:

  • http://fitseven.com.br/saude/postura-e-yoga/fisiologia-da-respiracao-correta
  • http://preparoemocionalcomalexxandremaia.blogspot.com.br/2012/08/ansiedade-um-fantasma-que-voce-pode-e.html