Mostrando postagens com marcador 2009. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador 2009. Mostrar todas as postagens

20 julho, 2021

[Livro] Nascido Para Matar ... De Rir (2009)/Steve Martin

 


Intro

Em meados dos anos 70, o nome de Steve Martin estourou no cenário da comédia nos Estados Unidos. Em 1978, ele já atraía as maiores plateias da história da “stand-up comedy”; em 1981, deixou os palcos para sempre. O que este livro conta, nas palavras do próprio Martin, é “por que eu fui parar na stand-up e por que eu saí dela”. Martin mostra todo o sacrifício, disciplina e originalidade que fizeram dele um ícone e que continuam transparecendo no seu trabalho até hoje. Um livro muito divertido. Uma obra-prima de quem leva a sério a profissão de fazer rir.


Nessa autobiografia, Martin narra de forma bem humorada sua trajetória desde a infância de classe média até seu auge nos anos 70, sem esconder os problemas que teve com drogas, família, casamento, depressão etc.

O legal é ver que ele demorou anos/décadas lapidando seu estilo de comédia até se tonar algo mecânico para ele e hilário para o público: em algum momento ele acabou desenvolvendo uma acuidade/habilidade mental precisa para fazer as pessoas rirem.


Citações


"Não há mal nenhum em você querer se alimentar de delírios entre um momento e outro de inspiração verdadeira."

" 'Como o comediante burslesco, eu sou extraordinariamente apegado àquela precisão que cria o movimento'. A precisão agora era o que empurrava o espetáculo para frente, que preenchia cada instante de conteúdo e mantinha o público envolvido' "

 "(...) eu já ouvi o que dizem sobre as celebridades desejarem a fama quando ela é útil de alguma maneira e rejeitarem-na quando deixa de ser. E acho que é exatamente isso que acontece."


Conclusão



Um ótimo livro, bem divertido de ler.

Recomendo.

Grande abraço!

com uma visão semelhante,
temos esse doc (post aqui).


________________________________________________________

10 março, 2021

[Livro] O Meu Eu E Outros Temas Importantes Livro (2009)/ Charles Handy - Parte 1

 

Janela de Johari - Imagem de Ana Luiza Velozo Crispino



Nenhum homem pode ser considerado feliz, ou totalmente realizado, até o dia de sua morte.

· Se nos interessarmos o suficiente, poderemos e conseguiremos aprender a fazer praticamente qualquer coisa. Meu verdadeiro problema não foi o de assumir as funções erradas durante a primeira metade da minha vida, mas sim o de me sentir suficientemente apaixonado pelo que fazia.

· Uma vida de sucesso não significa que saibamos o que queremos fazer antes de agir, mas exatamente o oposto. Só fazendo, experimentando, questionando e fazendo outra vez é que descobrimos quem somos. É essa certamente a minha experiência. A nossa identidade é parte herdada, e em parte moldada pelas primeiras experiências, mas não está completamente formada até que tenhamos explorado mais possibilidades.

· Hoje penso que a vida é realmente uma busca da nossa própria identidade. Infeliz daquele ou daquela que morre sem saber quem é na realidade, ou do que é realmente capaz. À medida que progredimos na vida, subimos uma espécie de escada da identidade, mostrando gradualmente as nossas capacidades e descobrindo-nos a nós mesmos. O psicólogo Abe Maslow chamou a isso de “uma hierarquia de necessidades”. Para mim é mais como uma escada.

Esquema clássico

Exceto em tautologias ou em algumas áreas da matemática, não existe verdade objetiva absoluta. Tudo depende do contexto, da perspectiva e dos princípios de origem. Aquilo que considero belo, em termos estéticos, pode parecer muito feio aos olhos de minha mulher, o que traz alguns problemas quando se trata de decoração de interiores.


· Há poucos anos, recordo-me de me terem dito que, quando se pergunta “por quê?” três ou quatro vezes seguidas, é possível que se acabe por conseguir chegar ao âmago das nossas motivações, muitas vezes inconscientes.


· A felicidade não é um estado, mas sim, uma atividade. Não estar deitado numa praia com um copo de vinho e um livro, tampouco ter sexo impudico com a pessoa de seus sonhos.


Eudaimonia se traduz melhor por “florescência”, ou fazer o seu melhor com aquilo em que é melhor. Curiosamente, também se aplica a organizações, se bem que nossos modernos gurus da gestão chamem a isso “otimizar as competências-chaves.


· Descobri que se você arranja as pessoas certas com quem começar, não precisa de tudo isso. E se não arranjar as pessoas certas, o que você aprendeu não vai ter nenhuma utilidade.



· Se a aprendizagem e a experiência não estiverem associadas, a aprendizagem evapora, mesmo que, como aconteceu comigo, a experiência venha em primeiro lugar. É por isso que, do meu ponto de vista, grande parte da educação formal pode ser desperdiçada.

__________________________________________________________

 



02 janeiro, 2021

[Palestra] Depressão (2009)/ Leandro Teles

 


Só não achei legal a parte dos remédios. 

Podia ter falado também de alucinógenos naturais no tratamento da depressão.

Boa palestra.



14 agosto, 2020

[Livro] Nascido para Correr (2009)/ Christopher McDougall



Introdução


Existe algo muito universal nessa sensação, no modo como o ato de correr combina dois de nossos impulsos primais: sentir medo e sentir prazer. Corremos quando estamos assustados, quando estamos em êxtase, quando queremos fugir dos problemas e para curtir momentos de felicidade.

Conselhos úteis

Os tarahumaras

  • ‘Quando alguém corre sobre a terra e com a terra, pode correr para sempre’”.

Quando o assunto são distâncias enormes, ninguém consegue derrotar um corredor tarahumara – nem um guepardo, nem um cavalo de corrida, nem um maratonista olímpico. (...) Os tarahumaras festejam durante toda a noite, depois se animam para, na manhã seguinte, dar início a uma corrida que não percorre três quilômetros nem dura duas horas, e sim dois dias inteiros.



As exceções, no caso, são os seres humanos que correm e não se machucam. Em cada dez corredores, pelo menos oito se ferem todos os anos. Não importa se você é magro ou gordo, veloz ou moderado, campeão de maratona ou corredor de final de semana, você está sujeito aos mesmos riscos de comprometer joelhos, canelas, tendões, quadris ou calcanhares. Na próxima vez em que se inscrever para uma Turkey Trot, tradicional corrida realizada nos eua perto do Dia de Ação de Graças, observe os corredores ao seu lado: pelas estatísticas, apenas um de vocês três irá chegar para a comemoração do final da prova.


 Costumam beber sem medida todas as semanas, consumindo, em um ano, uma quantidade de cerveja de milho a ponto de gastar cada terceiro dia da vida adulta embriagados ou em recuperação. Ao contrário de Lance Armstrong, não recompõem o corpo com bebidas ricas em substâncias revigorantes, nem recorrem a barras energéticas. 

Na verdade, os integrantes da tribo consomem pouca proteína: sua dieta é baseada no milho, cultivado por eles mesmos, acompanhado de um prato bastante apreciado – camundongo assado. Para as corridas, não treinam nem se preparam, não fazem alongamentos nem aquecimentos. Apenas caminham até o ponto de largada, rindo e fazendo brincadeiras... E correm como loucos por 48 horas seguidas.

 Alguns meses depois, vim a saber que o iskiate também é chamado de chia fresca. O preparo consiste em dissolver sementes de chia (Salvia hispanica) em água, com um pouco de açúcar e sumo de lima. No que se refere às propriedades nutricionais, uma colher de sopa de chia pode ser comparada a uma vitamina preparada com salmão, espinafre e hormônios humanos para o crescimento. Apesar de minúsculas, as sementes são ricas em ômega 3, ômega 6, proteínas, cálcio, ferro, zinco, fibras e antioxidantes. Se você tivesse de escolher apenas um alimento para levar a uma ilha deserta, a melhor opção seria a chia – pelo menos se a sua preocupação fosse fortalecer os músculos e reduzir o colesterol e os riscos de problemas cardíacos.

Esse era o verdadeiro segredo dos tarahumaras: eles nunca esqueciam como era gostar de correr. Tinham em mente o fato de que a corrida foi a primeira arte que o ser humano dominou, o nosso ato original de criação inspirada. Ao mesmo tempo que desenhávamos imagens em cavernas e tirávamos sons de troncos ocos, também aperfeiçoávamos a técnica de ajustar a respiração, a mente e os músculos, buscando uma ágil autopropulsão sobre superfícies íngremes. E, quando os nossos ancestrais finalmente fizeram os primeiros registros nas cavernas, o que eles retratavam? Um rápido raio, um ataque vigoroso – veja só, o Homem Corredor.

A corrida à distância tinha valor porque era indispensável. Era o meio de sobreviver e manter a espécie no planeta. Era preciso correr para comer e para não virar comida; para encontrar uma parceira, impressioná-la e, ao lado dela, correr para formar uma nova vida juntos. Era preciso amar a corrida, ou não daria para sobreviver para amar outra coisa. E, como acontece com quase tudo o que amamos (tudo o que chamamos de “paixões” e “desejos”), trata-se de uma necessidade ancestral herdada.

Desenvolvimento Pessoal


  • Talvez todos os nossos problemas – violência, obesidade, doença, depressão e tristeza que não conseguimos superar – tenham começado quando paramos de viver como o povo corredor. Ao negar nossa natureza, ela irrompeu de outra forma, e não tão bonita.

“Existem duas deusas em seus corações. A da sabedoria e a da riqueza. Todo mundo acha que, se conseguir a riqueza, a sabedoria virá depois, e acaba concentrando a atenção na busca de dinheiro. Mas isso tem um custo. Se você dedicar seu coração à deusa da sabedoria e entregar a ela todo o seu amor e a sua atenção, a deusa da riqueza sentirá ciúme e irá persegui-lo”. Não espere nada em troca de sua dedicação à corrida e ganhará mais do que jamais imaginou.

“Pratique a abundância compartilhando o que ganha”, “Invista nos relacionamentos pessoais” ou “Faça da integridade uma marca do seu conjunto de valores”.



Sempre que uma forma de arte perde sua força, quando se enfraquece pela elaboração intelectual e os princípios iniciais caem em tradições rançosas, uma onda radical pode surgir para reacendê-la e fazê-la ressurgir do nada. Os ultracorredores chamados de Young Guns podiam ser comparados aos escritores da geração perdida da década de 1920, aos poetas beats dos anos 1950 e aos criadores do rock da geração de 1960: eram pobres, sem sucesso e livres de qualquer expectativa. Eram artistas do corpo, criando com a paleta da resistência humana.

Eu sabia que exercícios aeróbicos tinham um forte poder antidepressivo, porém não havia percebido como poderiam ajudar a estabilizar o humor e (odeio usar a palavra) propiciar a meditação. Se você não chegar a uma resposta para os seus problemas depois de uma corrida de quatro horas, é porque o seu problema não tem solução.

“Poesia, música, mato, mar, isolamento – isso resultou numa enorme força espiritual. Ficou claro que o preparo espiritual, tanto quanto ou ainda mais que o preparo físico, precisa ser armazenado antes de uma corrida.” Herb Elliott, campeão olímpico e recordista mundial na milha, que treinava descalço, escrevia poesias e se aposentou invicto
Apenas quando uma alma morta consegue apagar todos os vestígios da passagem pela terra, ela está apta a partir para outra vida.

Correndo Melhor


“Não tente brigar com o terreno”, Caballo falou por cima do ombro. “Aceite o que lhe for dado. Se você pode escolher entre dar um passo ou dois entre as rochas, dê três.” De tanto tempo que havia passado em meio àquelas trilhas, Caballo já tinha até dado apelidos para as pedras do caminho: algumas eram as ayudantes, que ajudavam a dar impulso para frente; outras pareciam fazer o mesmo, mas não ofereciam firmeza e podiam se revelar “traidoras”, e outras ainda eram chamadas de chingoncitos, pequenas malditas que estavam ali só para atrapalhar.

“A lição número dois”, avisou Caballo, referindo-se ao modo de correr, “é pensar: fácil, leve, suave e rápido. Você começa com o ‘fácil’, porque só de conseguir isso já é alguma coisa. Depois se concentre na leveza. Faça tudo sem esforço, como se não ligasse para a altura da montanha ou a distância que tem pela frente. Quando souber fazer isso tão bem que nem perceber mais, lembre-se do quanto é suaaaaave. Não se preocupe com o último aspecto porque, quando dominar os três primeiros, você será rápido.”

“Além do cansaço e esgotamento extremos, podemos encontrar reservas de energia e conforto que jamais imaginamos possuir; fontes de força nunca invocadas porque nunca fomos ao limite”.

“Em dia de corrida, você precisa de duzentas calorias por hora. O segredo está em saber como consumir isso aos poucos, e é preciso recorrer a um fluxo constante para não sobrecarregar o estômago. Vai ser um bom treino.”

"na próxima vez em que machucarem os pés, caminhem sobre pedras escorregadias de um riacho frio."

“Ninguém para de correr porque envelheceu”, afirmou Jack Kirk. “Apenas envelhece porque parou de correr.”

O modo de ativar o mecanismo de queima de gordura é mantendo o corpo abaixo de seu limite aeróbico (momento em que se torna difícil respirar) durante as corridas de resistência.

Eric me mandava correr por duas horas seguidas, com a única recomendação de me concentrar na forma, e manter o ritmo suave o bastante para respirar com a boca fechada. (Cinquenta anos antes, Arthur Lydiard também deu sua dica para controlar o ritmo cardíaco e de corrida: “Apenas corra na velocidade em que consegue conversar”.)

“Quanto mais rápido você correr com conforto, menos energia irá demandar. A velocidade significa menos tempo sobre os pés”.


Tênis de Corrida (!?)


O tênis bloqueia a dor, e não o impacto! A dor nos ensina a correr do jeito certo! A partir do momento em que você começar a correr descalço, irá mudar a sua forma de correr.

  • Diversos machucados nos joelhos e nos pés que nos castigam são resultado do hábito de correr com calçados que enfraquecem os pés, exigem uma pronação excessiva e forçam os joelhos. Até 1972, quando a Nike inventou os tênis esportivos modernos, as pessoas corriam com calçados de solado fino, tinham pés fortes e apresentavam um índice bem menor de ferimentos nos joelhos.( Daniel Lieberman, professor de antropologia biológica de Harvard,)


Verdade dolorosa número 1: Os melhores calçados são os piores. (...) o relatório de 1991 na Medicine & Science in Sports & Exercise, que revelou que “quem usa tênis caros, anunciados por suas características adicionais capazes de proteger (por exemplo, maior amortecimento, ‘correção da pronação’), se fere com bem mais frequência do que os corredores que usam tênis baratos (que custam menos de quarenta dólares)”. Até parece piada: o dobro do preço, o dobro de problemas.

Não há provas de que os tênis de corrida de fato contribuam para evitar machucados. Em uma pesquisa realizada em 2008 para o British Journal of Sports Medicine, o doutor Craig Richards, pesquisador da Universidade de Newcastle, na Austrália, revelou que não existem estudos conclusivos (nem um sequer) que demonstre que os tênis de corrida reduzem as chances de ferimentos.

Verdade dolorosa número 2: Tênis velhos são melhores do que tênis novos. (...) Mas como o controle dos pés e o uso de uma sola desgastada podem evitar problemas nas pernas? Por causa de um ingrediente mágico: o medo. (...) conforme os tênis de corrida se desgastavam e o sistema de amortecimento reduzia, os pés dos corredores se estabilizavam e ganhavam mais segurança.



 É lógico que isso deveria ser óbvio: o impacto sobre as pernas decorrente da corrida pode corresponder a doze vezes o peso do corpo, por isso não faz sentido achar que alguns centímetros de borracha possam fazer algo contra, no meu caso, cerca de 1.200 quilos de carne, ossos e músculos. Você pode encapar um ovo com uma luva de borracha antes de dar uma martelada nele, porém ele jamais sairá ileso do golpe.

Verdade dolorosa final: “os seres humanos foram criados para correr descalços”.

Para sustentar o arco do pé, existe uma rede muito bem afinada de 26 ossos, 33 articulações, doze tendões flexíveis e dezoito músculos, todos capazes de alongar e se adaptar como uma ponte suspensa projetada para resistir a um terremoto. “Colocar os pés dentro de sapatos é o mesmo que engessá-los”.


Conclusão 

Leitura essencial.
Recomendo.

Grande abraço! 
____________________________________

29 julho, 2020

[Livro] A Arte da Guerra (470 a.C.)/ Sun Tzu




Introdução


Esse livro é essencial e merece ser relido de tempos em tempos. Em poucas páginas o autor desenvolve uma estratégia excelente para conflitos e para a vida.

Com ele aprendemos a lidar com nossa energia, que é a vontade de agir e de conquistar objetivos, levando em consideração o ambiente a nossa volta. 


É um livro sobre princípios e não sobre regras, o que permite aplicar seus ensinamentos a qualquer problema, como se preparar para uma prova ou conquistar uma mulher.

Umas das ideias mais legais: se preocupe em não cometer erros. Quem aplica isso já tem meio caminho andado para atingir qualquer objetivo.


Conselhos Úteis


Selecionei sete frases aleatórias para medição:


  • Se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas. Se você se conhece mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá também uma derrota. Se você não conhece nem o inimigo nem a si mesmo, perderá todas as batalhas.
  • Aquele que se empenha a resolver as dificuldades resolve-as antes que elas surjam. Aquele que se ultrapassa a vencer os inimigos triunfa antes que as suas ameaças se concretizem.
  • A suprema arte da guerra é derrotar o inimigo sem lutar.
  • Não é preciso ter olhos abertos para ver o sol, nem é preciso ter ouvidos afiados para ouvir o trovão. Para ser vitorioso você precisa ver o que não está visível.
  • A evolução do Homem passa, necessariamente, pela busca do conhecimento.
  • A habilidade de alcançar a vitória mudando e adaptando-se de acordo com o inimigo é chamada de genialidade.
  • O verdadeiro objetivo da guerra é a paz.


Remissões



  • Art of War (2009) - um belo documentário sobre o livro com duração de cerca de 1h30: mais uma maneira de aprender sobre a guerra no conforto de seu sofá.



Conclusão



Seja Fūrinkazan


veloz como o vento, tão gentil como floresta, feroz como fogo, inabalável como  montanha.


Pela ótica de uma antiga estratégia de guerra chinesa, você poderá dar uma nova abordagem a seus problemas e, com sorte, solucioná-los.

Essencial.

Grande abraço!

_________________________________________



09 maio, 2020

[Livro] Blogging Heroes (2009)/ Michael A. Banks - Parte II

Photo by Renato Abati from Pexels


 

    • comentários aos posts do blog podem ser usados para identificar tendências, mas apenas uma pequena fração dos que visitam os blogs deixam comentários. É a reclamação de todo blogueiro. Eles se sentem como se estivessem falando com as paredes. Acho que a maioria das pessoas que lê blogs são outros blogueiros.
    • quase todos os nossos posts expressam uma opinião. Use um estilo descontraído e elegante em vez de tentar copiar um estilo jornalístico.
    • tente unir propaganda e conteúdo, em vez de permitir que isso interfira no conteúdo. Manter pouco conteúdo publicitário permite que você equilibre o conteúdo com anúncios, o que contribui para se ter leitores mais felizes.
    • você não pode tacar ninguém pessoalmente, nem agredir alguém por nada. Uma coisa é ridicularizar a Sony e outra coisa completamente diferente é ridicularizar alguém que trabalhe na loja da Sony.
    • As pessoas não estão blogando apenas para ganhar dinheiro ou ter seus nomes em uma lista. Elas blogam porque isso preenche uma necessidade em suas carreiras ou em algum outro aspecto de suas vidas. Começar a blogar com  a ideia de que irá fazer fortuna provavelmente deixará você frustrado.
    • ilustrações em posts incrementam a apresentação da página de um blog enquanto que conduzem muita informação em um instante.
    • Testar blogs de vários assuntos pode fornecer uma experiência positiva de aprendizagem
    • uma boa maneira para melhorar seu blog é ouvir seus leitores e pensar neles enquanto escreve.
    • se tiver um problema, pense em fazer um post em um blog
    • se seus leitores tiverem a oportunidade de conhecer você, eles farão mais comentários.


    Conclusão 


    Creio que pode ser considerado como um manual para blogueiros iniciantes.

    Recomendo para os amantes do assunto.

    Grande abraço!

    ________________________________________________________________________

    14 março, 2020

    [Texto] 40 Motivos para Odiar o Brasil (2009)/Anônimo

    Foto de JTMultimidia no Pexels



    • 'Os brasileiros não têm consideração com as pessoas fora do seu círculo de amizades e muitas vezes são simplesmente rudes. Por exemplo, um vizinho que toca música alta durante toda a noite… E mesmo se você vá pedir-lhe educadamente para abaixar o volume, ele diz-lhe para você “ir se fud**”. E educação básica? Um simples “desculpe-me “, quando alguém esbarra com tudo em você na rua simplesmente não existe.

    • Os brasileiros são agressivos e oportunistas, e, geralmente, à custa de outras pessoas. É como um “instinto de sobrevivência” em alta velocidade, o tempo todo. O melhor exemplo é o transporte público. Se eles vêem uma maneira de passar por você e furar a fila, eles o farão, mesmo que isso signifique quase matá-lo, e mesmo se eles não estiverem com pressa. Então, por que eles fazem isso? É só porque eles podem, porque eles vêem a oportunidade, por que eles querem ganhar vantagem em tudo. Eles sentem que precisam sempre de tomar tudo o que podem, sempre que possível, independentemente de quem é prejudicado como resultado.

    • Os brasileiros não têm respeito por seu ambiente. Eles despejam grandes cargas de lixo em qualquer lugar e em todos os lugares, e o lixo é inacreditável. As ruas são muito sujas. Os recursos naturais abundantes, como são, estão sendo desperdiçados em uma velocidade surpreendente, com pouco ou nenhum recurso.

    • Brasileiros toleram uma quantidade incrível de corrupção nos negócios e governo. Enquanto todos os governos têm funcionários corruptos, é mais comum e desenfreado no Brasil do que na maioria dos outros países, e ainda assim a população continua a reeleger as mesmas pessoas.

    • As mulheres brasileiras são excessivamente obcecadas com seus corpos e são muito críticas (e competitivas com) as outras.

    • Os brasileiros, principalmente os homens, são altamente propensos a casos extraconjugais. A menos que o homem nunca saia de casa, as chances de que ele tenha uma amante são enormes.

    • Os brasileiros são muito expressivos de suas opiniões negativas a respeito de outras pessoas, com total desrespeito sobre a possibilidade de ferir os sentimentos de alguém.
    • Brasileiros, especialmente as pessoas que realizam serviços, são geralmente malandras, preguiçosas e quase sempre atrasadas.

    • Os brasileiros têm um sistema de classes muito proeminente. Os ricos têm um senso de direito que está além do imaginável. Eles acham que as regras não se aplicam a eles, que eles estão acima do sistema, e são muito arrogantes e insensíveis, especialmente com o próximo.

    • Brasileiros constantemente interrompem o outro para poder falar. Tentar ter uma conversa é como uma competição para ser ouvido, uma competição de gritos.

    • A polícia brasileira é essencialmente inexistente quando se trata de fazer cumprir as leis para proteger a população, como fazer cumprir as leis de trânsito, encontrar e prender os ladrões, etc. Existem Leis, mas ninguém as aplica, o sistema judicial é uma piada e não há normalmente nenhum recurso para o cidadão que é roubado, enganado ou prejudicado. As pessoas vivem com medo e constroem muros em torno de suas casas ou pagam taxas elevadas para viver em comunidades fechadas.

    • Os brasileiros fazem tudo inconveniente e difícil. Nada é simplificado ou concebido com a conveniência do cliente em mente, e os brasileiros têm uma alta tolerância para níveis surpreendentes de burocracia desnecessária e redundante.

    • Brasileiros pagam impostos altos e taxas de importação que fazem tudo, especialmente produtos para o lar, eletrônicos e carros, incrivelmente caros. E para os empresários, seguindo as regras e pagando todos os seus impostos faz com que seja quase impossível de ser rentável. Como resultado, a corrupção e subornos em empresas e governo são comuns.

    • Está quente como o inferno durante nove meses do ano, e ar condicionado nas casas não existe aqui, porque as casas não são construídas para ser herméticamente isoladas ou incluir dutos de ar.

    • A comida pode ser mais fresca, menos processada e, geralmente, mais saudável do que o alimento americano ou europeu, mas é sem graça, repetitivo e muito inconveniente. Alimentos processados, congelados ou prontos no supermercado são poucos, caros e geralmente terríveis.

    • Os brasileiros são super sociais e raramente passam algum tempo sozinho, especialmente nas refeições e fins de semana. Isso não é necessariamente uma má qualidade, mas, pessoalmente, eu odeio isso porque eu gosto do meu espaço e privacidade, mas a expectativa cultural é que você vai assistir (ou pior, convidar amigos e família) para cada refeição e você é criticado por não se comportar “normalmente” se você optar por ficar sozinho.

    • Brasileiros ficam muito perto, emocionalmente e geograficamente, de suas famílias de origem durante toda a vida. Como no #16, isso não é necessariamente uma má qualidade, mas pessoalmente eu odeio porque me deixa desconfortável e afeta meu casamento. Adultos brasileiros nunca “cortam o cordão” emocional e sua família de origem (especialmente as mães) continuam a se envolvido em suas vidas diariamente, nos problemas, decisões, atividades, etc. Como você pode imaginar, este é um item difícil para o cônjuge de outra cultura onde geralmente vivemos em famílias nucleares e temos uma dinâmica diferente com as nossas famílias de origem.

    • Eletricidade e serviços de internet são absurdamente caros e ruins.

    • A qualidade da água é questionável. Os brasileiros bebem, mas não morrem, com certeza, mas com base na total falta de aplicação de leis e a abundância de corrupção, eu não confio no governo que diz que é totalmente seguro e não vai te fazer mal a longo prazo.

    • E, finalmente, os brasileiros só tem um tipo de cerveja (aguada) e realmente é uma porcaria, e claro, cervejas importadas são extremamente caras.

    • A maioria dos motoristas de ônibus dirigem como se eles estivessem tentando quebrar o ônibus e todos dentro dele.

    • Calçadas no meu bairro são cobertos com mijo e coco de cães que latem dia e noite.

    • Engarrafamentos de 3 horas e meia toda vez que chove.

    • Raramente as coisas são feitas corretamente da primeira vez. Você tem que voltar para o banco, consulado, escritório, mandar e-mail ou telefonar 2-10 vezes para as pessoas a fazerem o seu trabalho.

    • Qualidade do ar muito ruim. O ar muitas vezes cheira a plástico queimado.

    • Ir a Shoppings e restaurantes são as principais atividades. Não há nada para fazer se você não gastar. Há um parque principal e está horrivelmente lotado.

    • O acabamento das casas é péssimo. Janelas, portas, dobradiças , tubos, energia elétrica, calçadas, são todos construídos com o menor esforço possível.

    • Árvores, postes, telefones, plantas e caixas de lixo são colocados no centro das calçadas, tornando-as intransitáveis.

    • Você paga o triplo para os produtos que vão quebrar dentro de 1-2 anos, talvez ais.

    • Os brasileiros amam estar bem no seu caminho. Eles não dão espaço para você passar.

    • A melhor maneira de inspirar ódio no Brasil? Educadamente recusar-se a comer alimentos oferecidos a você. Não importa o quão válido é a sua razão, este é considerado um pecado imperdoável aos olhos dos brasileiros e eles vão continuar agressivamente incomodando você para comê-lo.

    • As pessoas vão apertar e empurrar você sem pedir desculpas. No transporte público você vai tão apertado que você é incapaz de mover qualquer coisa, além da sua cabeça.

    • O Brasil é um país de 3° mundo com preços ridiculamente inflacionados para itens de qualidade. Para se ter uma ideia, São Paulo é classificada como a 10ª cidade mais cara do mundo. (New York é a 32ª).

    • A infidelidade galopante. Este não é apenas um estereótipo, tanto quanto eu gostaria que fosse. Homens na sociedade brasileira são condicionados a acreditar que eles são mais “viris” por saírem com várias mulheres.

    • Zero respeito aos pedestres. Sim, eles não param para você passar. Na melhor das hipóteses, eles vão buzinar.

    • Quando calçadas estão em construção espera-se que você ande na rua. Alguns motoristas se recusam a fazer o menor desvio a sua presença, acelerando a poucos centímetros de você, mesmo quando a pista ao lado está livre.

    • Nem pense em dizer a alguém quando você estiver viajando para o EUA. Todo mundo vai pedir para você trazer iPods, X-Box, laptops, roupas, itens de mercearia, etc. em sua mala, porque eles são muito caros ou não disponíveis no Brasil.

    • A menos que você goste muito de futebol ou reality shows (ou seja, do Big Brother), não há nada muito o que conversar com os brasileiros em geral. Você pode aprender fluentemente a língua portuguesa, mas no final, a conversa fica muito limitada, muito rapidamente.

    • Tudo é construído para carros e motoristas, mesmo os carros sendo 3x o preço de qualquer outro país. Os ônibus intermunicipais de luxo são eficientes, mas o transporte público é inconveniente, caro e desconfortável para andar. Consequentemente, o tráfego em São Paulo e Rio é hoje considerado um dos piores da Terra (SP, possivelmente, o pior). Mesmo ao meio-dia podem ter engarrafamentos enormes que torna impossível você andar mesmo em um pequeno trajeto limitado, a menos que você tenha uma motocicleta.

    • Todas as cidades brasileiras (com exceção talvez do Rio e o antigo bairro do Pelourinho em Salvador), são feias, cheias de concreto, hiper-modernas e desprovidas de arquitetura, árvores ou charme. A maioria é monótona e completamente idênticas na aparência. Qualquer história colonial ou bela mansão antiga é rapidamente demolida para dar lugar a um estacionamento ou um shopping center.'

    _________________________________________________________________

    29 setembro, 2019

    [Livro] Blogging Heroes (2009)/ Michael A. Banks

    Photo by Renato Abati from Pexels


    Introdução


    Apesar da tradução ruim e de ter capa dura sem uma capa impressa, o mérito do livro é compilar por meio de entrevistas os ensinamentos de alguns dos melhores blogueiros de todos os tempos.

    Aprendi que o segredo para conseguir mais visitantes em seu blog é postar conteúdo útil, original e bem escrito; pois conteúdo bom derruba o SEO.


    Um blog de sucesso é como um animal faminto que precisa passear, ser alimentado, limpo e amado regularmente, mas a parte mais difícil de blogar é que isso assume o controle de sua vida: quanto mais eu blogo, mais eu quero blogar. 

    Mesmo assim é importante ficar um tempo sem blogar, caso contrário, você limitará sua perspectiva.



    Lições 


    • dê a seus leitores algo adicional: não pare com soluções - dê apoio ou informação instrutiva juntamente com respostas às perguntas
    • blogar é uma maneira de se tornar mais esperto: faço o meu melhor penando por meio de meus blogs. Blogar é um processo de aprendizado progressivo. blogar o torna um escritor melhor. Blogar pode fazer você prestar muita atenção em um determinado assunto, pensar  sobre ele e relembrar mais.
    • blog é um bloco de rascunhos e uma disciplina para coletar suas ideias, compô-las, antecipá-las e fazer isso em público de maneira a ampliar suas ideias não apenas atingindo um público, mas também obtendo uma resposta delas.
    • quando vc empaca escrevendo um post, se afaste disso por um momento e trabalhe em algo diferente.
    • um conjunto de filtros cuidadosamente selecionado pode fazer os blogs funcionarem como um filtro de informações. Embora seja impossível ler tudo, manter-se atualizado com os blogs dos concorrentes é uma parte indispensável dos blogs comerciais.
    • confirmar uma informação com três fontes diferentes é uma regra de jornalismo exigível.
    • a combinação de notícias com a perspectiva de sua experiência pessoal pode deixar seus posts muito mais interessantes.
    • um design de página simples é, geralmente, melhor que um complicado.

       

      01 setembro, 2019

      [Doc] Fat Head (2009)/ Tom Naughton

      Photo by Anderson Miranda from Pexels


      1 - Introdução 



      Esse documentário foi uma resposta a um outro documentário chamado Super Size Me.


      Em Super Size Me, o autor, Morgan Spurlock, argumenta que a culpa pela obesidade dos americanos é das cadeias de Fast Food. 

      Em Fat Head, o autor, Tom Naughton argumenta que o McDonalds não faz as escolhas por você e que o que realmente lhe engorda são os carboidratos em excesso. E, para provar isso, ele decide comer exclusivamente fast food por 30 dias, mas evitando os carboidratos. 

      Neste filme, ele prova  que é possível até mesmo perder peso e aumentar a saúde comendo exclusivamente fast food, se você cortar parte dos carboidratos -  além dos carbs em 100g/dia,  ele limitou também as calorias para 2000/dia.

      20 abril, 2018

      [Lista] Coleção Grandes Compositores da Música Clássica (2009)


      Introdução


      Fiz essa coleção há mais de uma década e anda meio abandonada.

      A meta é escutar cada CD duas vezes lendo o livro que acompanha para aumentar minha cultura geral.


      Lista



      1. Beethoven  - ouvido

      2. Tchaikovsky - ouvido 
      3. Mozart 4. Vivaldi 5. Bach 6. Chopin 7. Ravel 8. Brahms 9. Haendel 10. Villa-Lobos 11. Bizet 12. Haydn 13. Família Strauss 14. Debussy 15. Schubert 16. Liszt 17. Verdi 18. Mendelssohn 19. Rachmanimov 20. Rossini 21. Holst 22. Wagner 23. Mahler 24. Dvorák 25. Schumann 26. Smetana 27. Berlioz 28. Strauss 29. Puccini 30. Elgar 31. Weber 32. Saint-Saëns 33. Paganini 34. Bruckner 35. Rimsky-Korsakov 36. Mussorgsky 37. Fauré 38. Beethoven - Volume 2 39. Mozart - Volume 2 40. Bach - Volume 2

      Conclusão


      Música é vida.


      Grande abraço!


      _________________________________________________________________

      • Editora: Abril
      • Periodicidade: semanal
      • Público alvo: apreciadores de música clássica e cultura
      • Exposição: ao lado de Veja ou no balcão do caixa
      • Distribuição: Estados de São Paulo e Rio de Janeiro (fase 1); demais Estados (fase 2, a partir de agosto)
      • Preço: R$ 7,90 (volume 1) e R$ 14,90 (demais volumes)

      03 janeiro, 2017

      [Livro] Casa em ordem (2009)/ Natalia Zanar Ortiz

       

       



      Introdução


      Mais em resenha.

      Como é um livro curto (63 páginas), é quase ideal para solteiros. 

      Só não é perfeito para esse foco porque inclui estratégias para administrar crianças.


      Lições 



      • Organização facilita a vida
      • As coisas devem ter um lugar próprio e estar sempre no mesmo lugar
      • Itens do mesmo grupo devem ser armazenados juntos (todas as fotos juntas, todos os documentos juntos, etc.)
      • Não acumule objetos e roupas que não são usados
      • Não compre por impulso coisas que não terão utilidade
      • Armazene todos os seus pertences de maneiras lógica, para que fique fácil guardá-los quando não se precisa mais deles
      • Crie um cardápio para as refeições e faça compras no supermercado com base nesse cardápio
      • Uma casa cheirosa confunde o olhar: tudo vai parecer mais limpo e arrumado. Use odorizantes de ambiente de lavanda ou alecrim
      • Tenha pelo menos um vaso de planta verdadeiro na sala de estar

      Conclusão 


      Ótimo para iniciantes.

      Recomendo a leitura.

      Grande abraço!



      ______________________________________________