Mostrando postagens com marcador 1978. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador 1978. Mostrar todas as postagens

12 fevereiro, 2019

[Livro] Aristóteles para Todos (1978)/ Mortimer Adler

 



Introdução



"A única maneira de se ficar mais esperto é jogando contra alguém mais esperto". Daí a necessidade de se ler os pensadores clássicos: ficar mais esperto.

Resolvi começar com essa introdução a um dos principais.


Conselhos Úteis


Uma vida não planejada é um vida em que não sabemos o que estamos tentando fazer, nem o porquê, e em que não sabemos aonde estamos tentando chegar, nem como.

Planejar uma vida é cuidar dela, e isso significa pensar sobre os fins a buscar e sobre os meios com que buscá-los.

O plano certo é aquele que almeja o fim último certo - o fim que todos deveríamos almejar. (...) o fim certo que todos devemos buscar é uma boa vida.

(...) viver bem é um bem em si mesmo, um fim que buscamos por causa dele mesmo e não por causa de nenhuma coisa, nem por nenhum propósito ulterior.

Privada de comida, a maior parte dos seres humanos toma consciência dessa privação ao sentir fome. Mas, privados de conhecimento, nem sempre os seres humanos tomam consciência de sua privação. Infelizmente, é raro que sitamos o aperto da ignorância como sentimos o aperto da fome. 

(...) O fato de não estarmos conscientes de uma necessidade natural não nos deveria induzir ao erro de pensar que a necessidade da qual não temos consciência não existe. Ela existe, tenhamos ou não consciência dela.

(...) todos ou quase todos reconhecem - que muita vezes queremos coisas de que não precisamos. Até cometemos o erro de dizer que precisamos delas quando apenas as queremos.

Ao contrário das coisas que você quer, e que parecem boas na hora me que você quer, mas que depois, podem mostra-se o posto do que é bom, as coisas de que você precisa são sempre boas para você. Como são verdadeiramente boas para você, não são boas num momento e o oposto disso em outro.

As coisas que são realmente boas para você são aquelas que satisfazem suas necessidade naturais. (...) Sua bondade consiste em satisfazer um desejo inerente á natureza humana.

Aquilo que é realmente bom para nós é algo que sempre deveríamos desejar porque necessitamos desse algo, e não temos necessidades erradas.

Se buscarmos todos os bens verdadeiros que deveríamos possuir durante nossa vida, buscaremos a felicidade de acordo com o plano de vida correto, aquele que deveríamos adotar.

E o melhor plano de todos, aquele que deveríamos adotar, é o plano que almeja todos os bens reais na ordem e na medida correta e que, além disso, nos permite buscar coisas que queremos mas de que não necessitamos, na medida em que obtê-las não nos impeça de satisfazer nossas necessidades ou de realizar nossas capacidade.

Conclusão 


Enfim, o livro é uma boa introdução.

Recomendo para quem precise de uma.

Grande abraço!