Arquivos

07 outubro, 2021

[Guest Post] Morreu a Garota Liberal! (2021)/ Gerson Ravv

A Garota Liberal segundo os caras que saíram com ela era extremamente peludona,
será excesso de testosterona e daí vinha o comportamento sexual predatório?

 

Pois é meus amigos! Mais um membro da vizinhaça se foi.

Essa semana quem morreu foi a famosa Garota Liberal.

Conhecida no bairro como "A Garota Liberal", essa mulher foi muito comentada e criticada entre os anos 90 quando se mudou para cá. 

Trabalhou na mesma fábrica que minha mãe, a GL tinha apenas 20 e poucos anos mas era o terror das mulheres casadas!

Certa vez no Natal a GL me deu um chocolate daqueles que tem um papel alumínio desenhado o papai Noél e tentou me arrastar pro barraco dela, a sorte foi que eu então com 15 anos era virgem de tudo e praticamente sem malícia nenhuma nessa parte,  só lembro que devolvi o doce e falei que não podia pegar porque não acreditava no Natal e tal.

Lembro das vezes que eu jogando bolinha de gude (com 15 anos!), com outros moleques do bairro em frente do boteco que a GL ficava e ouvindo as conversas dela com outros caras e garotas: "Assim amiga, o buraco é meu, logo, dou o meu buraco pra quem eu quiser e aceitar, simples assim, e outra, é só lavar que já era, igual roupa, ninguém pertençe a ninguém! A vida é uma festa!".

Transava sem capa com qualquer um que conversava com ela, dizia que não tinha frescuras, tomava remédio para não engravidar e que a vida e juventude eram para serem exploradas com muito prazer e diversão sem limites.

Dizem que ela dava mais que chuchu na cerca, uma das lendas diz que ela transou com quase todos os homens da fábrica, desde os faxineiros, peões de chão de fábrica até os executivos ela devorou.


Tinha dia que minha mãe chegava transtornada em casa, eu perguntava o que foi e ela contava extremamente nervosa:

"Sabe a Garota Liberal? Pois é, pegamos ela novamente TREPANDO no nosso vestiário! Uma ordinária! Sem vergonha! Safada! E com o pobre coitado do Zé Linguiça!".

O Zé Linguiça era um faxineiro negro que tinha problemas mentais tipo retardado mental leve, ele morava num barraco dentro do terreno da fábrica e nem ele a GL perdoou!!!


Diziam que a GL era extremamente peluda e eu acho que isso poderia significar que ela tinha muito testosterona no sangue, daí o apetite sexual animalesco e chocante. 

Pelo que lembro dela, até que a GL era bonitinha, altura média de 1,60, branca, cabelos lisos pretos, rosto bonito e corpo mediano nem gorda e nem magra.

Minha mãe me contava que nas confraternizações de fim de ano da peãozada, após o almoço, fechavam as portas do galpão e começava um showzinho escandaloso da Garota Liberal e outras "mulheres à toa " da fábrica, segundo minha mãe rolava de streap tease até simulações de sexo no palco do galpão, quando começava a virar uma suruba verdadeira, minha mãe e outras crentes saiam abismadas da festinha e iam embora.

Pior que dizem que a chefia fechava os olhos para tudo isso e a GL vira e mexe era flagrada fazendo sexo de tudo quanto era jeito pela fábrica. 

Diferente das modernetes de hoje, a Garota Liberal dava pra todo mundo sem pedir nada em troca, ela ia para a suruba com os chefes de carro do ano quanto de bicicleta ou à pé com o faxineiro pobretão do Jardim São Luís. 

Lembro quando a GL passava na rua de shortinho atuchado e blusinha sem sutiã, as mulheres olhavam com inveja e diziam: "Essa vadia é muito Liberal, nem parece mulher!".

Pois bem, os caras adoravam sair com ela e contavam todas as peripécias realizadas e riam muito lembrando dos prazeres vividos.l tudo SEM CAPA E SEM FRESCURAS. 

Isso durou alguns anos, até que um belo dia a Garota Liberal começou a emagrecer e desmaiar pela fábrica e pelas ruas do bairro.

Foi ao médico e dias depois uma notícia tétrica caiu como uma bomba atômica no bairro e na fábrica: a famosa Garota Liberal testou positivo para AIDS.

Vocês podem imaginar o terror nos rostos de todos os caras que saíram com ela! 

Teve um que se chamava Titão que ficou tão assustado que foi ao hemocentro implorando uma transfusão de sangue TOTAL!!!

A rapaziada já não ria mais, todo mundo com medo, cabisbaixos, todos temendo fazer o exame e dar positivo!

Os caras entraram em pânico! 

Só lembro que muitos caras que saíram com a GL morreram pouco a pouco ano a ano, se foi de HIV eu não sei se foram todos mas três eu tenho certeza porquê moravam aqui no bairro e acompanhamos o drama deles e de suas esposas que também morreram de complicações da AIDS. 

A Garota Liberal ainda viveu bastante depois do teste positivo, acho que por causa dos remédios, mas seu fim foi triste, depois de quase 20 anos foi ficando cada mês mais magra, rosto encaveirado, gripes e resfriados que ficavam cada vez mais fortes, manchas e perébas persistentes, tudo isso culminando em diversas doenças minando pouco a pouco seu frágil corpo.

Só sei que a última vez que vi a Garota Liberal ela estava bem magra numa cadeira de rodas empurrada por uma sobrinha modernete dela, estavam saindo do Posto de Saúde que fixa em frente da minha casa, nem de longe lembrava aquele furacão sensual que ela tinha sido no passado. 

Vendo a cena da decadência da GL, imaginei um monte de espíritos atormentados dos homens que saíram com ela e que já se foram, todos se arrastando atrás dela pedindo de volta suas vidas.

Enfim, usem sempre camisinha rapazes.

Att Gerson Ravv 


_____________________________________________________


  • fontehttp://www.blockchainsupertrader.com/2021/10/morreu-garota-liberal.html

20 comentários:

  1. Li sem piscar aqui, parecia algum conto saído direto das páginas do Hellblazer do Garth Ennis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tb achei muito bom
      fico pensando nos caras que transam sem camisinha por aí: bando de maluco

      "Garth Ennis" lembrei da "The Pro", obra dele bem engraçada

      abs!

      Excluir
    2. Grande Gérson , eu também curto muito as histórias dele .

      Excluir
  2. Mais um dos contos do Gerson.
    A maioria dessas estórias do Gerson provavelmente não passam de contos.

    Mas aproveitando o tema: A maioria das pessoas transam sem camisinha. É fácil deduzir isso pelo grande número de gravidez por "acidente" que acontecem no Brasil.
    O risco de doenças está aí. Além da Aids, a Hepatite, o HPV e suas possíveis complicações etc.
    Acho que o risco de contrair Aids pelo sexo hetero é estatisticamente pequeno, mas existe.
    Então vale a reflexão. Hoje grupo seguro para sexo não existe.
    A prevenção é sempre a melhor escolha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso faz parte da nossa cultura brasileira de não pensar nas consequências dos próprios atos, tudo acaba em prazer momentâneo, sexo. A mesma coisa acontece com finanças.

      Alguns colegas estrangeiros disseram que ficaram admirados com a quantidade de casos extraconjugais, filhos fora do casamento e crimes passionais que acontecem por aqui e como esses eventos são tratados como coisas cotidianas. Eles falam que nos países deles isso existe, mas é algo bem esporádico, as pessoas pensam mais seriamente nas implicações legais, morais e sanitárias de fazer algo correndo riscos. E olha que eles costumam falar menos de sexo do que nós (cai por terra a história de que sexo e sexualidade são um tabu no Brasil e as pessoas se comportam assim porque se sentem oprimidas).

      Excluir
    2. Nunca morei fora do Brasil para fazer uma comparação realista.
      Mas acho o Brasil um país muito sexualizado. Porém acho que há extremos, uma parte da população sexualmente ativa que troca de parceiros (as) desde a adolescência e que muitos casos tem relações extraconjugais.
      E tem também uma parcela da população que está por opção ou não fora do mercado sexual ou teve 1 ou 2 parceiros(as) em toda a vida.

      Mas dentre os ativos a paternidade/maternidade não planejada vem virando a regra.
      É cada vez mais comum entre não casados ou pessoas que não estão em relações estáveis. Isso mostra que a camisinha é ignorada e todos os riscos envolvidos também.
      Ainda existe uma considerável pressão social para que as pessoas estejam em relacionamentos, o que só intensifica o problema.

      Excluir
    3. tá cheio de estrangeiro fazendo turismo sexual no brasil, tailandia etc
      o que comem viados nunca terão filhso fora do casamento
      os que comem putas, e a puta engravida, dificilmente vai se preocupar em ser achado

      os estrangeiros é que são espertos, terceizaram internacionalmente putaria e podem posar de bons moços em casa

      Excluir
    4. "Mais um dos contos do Gerson.
      A maioria dessas estórias do Gerson provavelmente não passam de contos."

      e daí, algum problema em lidar com isso?

      o que tem de incomum na estória de alguem que faz muito sexo sem camisinha com muitas pessoas diferentes e pega uma doença? nada

      conto ou não é tão real quanto a realidade

      Excluir
    5. E o que eu disse Scant?
      Disse justamente que é algo comum.

      E qual o problema de eu falar que essa história é um conto?
      Tá se incomodando atoa. Fez um posto falando de geração fraca e fica com esse mimimi?

      Excluir
    6. vou te dar porrada hein, anon hahahaha
      cara, pelo uso da expressão "não passar de" imaginei que o sentido era outro
      entenda de a linguagem escrita é bem limitada e nem sempre parece expressar o que queremos


      vide Ciberdúvidas da Língua Portuguesa, https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/voce-nao-passa-de-um-safado/34694 [consultado em 08-10-2021]

      Excluir
  3. um conto bem interessante!

    Att: NellBux

    ResponderExcluir
  4. Acho que se é verídico ou não a história é pouco relevante.

    Entretanto um tópico muito pouco debatido e que esse post abriu espaço é o sexo sem camisinha. Infelizmente a maioria transa sem usar camisinha e tal como falado se percebe pelo alto índice de gravidez não planejada, mas o grande problema é a transmissão de doenças.

    Acho que criou-se um senso de que HIV e doenças relacionadas não são mais um problema, o pessoal não pode considerar uma doença tão grave como HIV igual se fosse uma simples gripe.

    E parte da culpa é do discurso conservador, que odeia a ideia de que se fale sobre educação sexual nas escolas, tudo isso baseado em um discurso bizarro de "defesa da família e dos valores cristãos". É tolice de pais moralmente conservadores acharem que seus filhos não estão expostos a sexo no cotidiano, eles entram na vida sexual cada vez mais cedo.

    Os pais tem que entender que seus filhos não são os "santinhos" que eles acham. Existe duas saídas: fornecer educação sexual para explicar sobre como seus corpos funcionam, doenças e questões relativas ao consentimento ou ignorar tudo isso e assistir passivamente a explosão de HIV e violência sexual que já atinge esse país.

    Abraços,
    Pi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São duas questões de um mesmo assunto.
      Um ponto é essa da educação sexual focado em menores de idade. Entretanto o sexo sem camisinha que gera milhares de filhos não planejados e possibilita a proliferação de DSTs é feito em grande parte por adultos de várias idades e de todas as classes sociais.
      O sexo sem camisinha não ocorre por falta de conhecimento. Boa parte dos casos de gravidez não planejada são de pessoas com curso superior completo que tem acesso a informação.
      Aquele estereótipo de grávidas mães solteiras adolescentes predominantemente pobres e com pouco ou sem acesso a educação/informação mudou muito. Ainda existem casos com esse perfil.
      Mas existem muitas mulheres adultas, de classe média, com profissões de nível superior na mesma situação. Eu conheci e sei desde o tempo que estava na faculdade de vários casos de colegas que tiveram filhos não planejados e não são pessoas ignorantes.

      Eu penso que os motivos desse cenário são: As pessoas não tem medo de DSTs porque veem essas doenças como algo distante e facilmente curável. O que não é verdade.
      Hepatite é um doença complicada se não diagnosticada na fase inicial. Aids ainda não tem cura. HPV pode ser a causa de alguns tipos de Câncer, principalmente canceres em mulheres, Sífilis pode trazer complicações graves até mesmo neurológicas e causar abortos ou má formação de fetos etc etc.
      Tem também outro fator importante: A banalização do sexo. Em gerações passadas o sexo era algo limitado a casais casados, logicamente já existia prostituição, puladas de cerca etc. Não estou romantizando o passado.
      Mas hoje pessoas trocam de parceiro(as) desde a adolescência, traem parceiros etc, aumentando as possibilidades de tudo o que foi dito.
      É sobretudo uma questão de consciência individual. Porque informação no geral as pessoas tem.

      Excluir
    2. 'Mas hoje pessoas trocam de parceiro(as) desde a adolescência, traem parceiros etc, aumentando as possibilidades de tudo o que foi dito.' isso nao é recente
      sempre foi assim (até na biblia tem proibicao de adulterio, o que nao tá ali por acaso...)

      olha esse trecho de ezequiel:

      Ezequiel 23:20

      Desejou ardentemente os seus amantes, cujos membros eram como os de jumentos e cuja ejaculação era como a de cavalos.

      o que mudou as coisas foram a Aids nos anos 80

      nos anos 70, o sexo era liberado, jatinha pilula anteconcepcional
      sempre houve muito filho fora do casamento

      filhos bastardos do rei são famosos em filmes sobre a idade media

      "A banalização do sexo.'
      o sexo sempre foi algo banal para a raça humana, assim como cagar e peidar

      a civilizacao + moral cristã que acabou criando uma certa necessidade de se estabelecer regras

      Excluir
    3. Anônimo,

      Existe um interesse de "forças conservadoras" em banir o debate sobre educação sexual nas escolas, por algum motivo falar com um jovem sobre como seu corpo funciona, a probabilidade de gravidez não planejadas, suas implicações na vida, o risco de doenças e questões relativas a assédio sexual e estupro são consideradas como "sexualização".

      Existem estudos científicos que indicam que questões relativas a vida sexual e sexualidade é a causa de muitos problemas psicológicos em pessoas e a maioria absoluta dos serial killers americanos tinha algum tipo de experiência relacionada a sexo ou a sua sexualidade na infância/adolescência que se tornou um fator de influência em sua vida.

      O jovem de hoje em dia se expõe muito fácil a pornografia, e convenhamos que entrar em um site e se deparar com corpos e performances de profissionais do pornô podem criar no jovem dúvidas sobre o que é o sexo, seu próprio corpo, o que é normal e o que é ficção. Esse tipo de questão precisa ser abordada.

      Sobre adultos com diploma superior fazendo sexo, engravidando sem planejamento e pegando doenças. Eu ainda considero que parte significativa é fruto sim da desinformação. Se fala historicamente muito pouco sobre isso e ainda é um tabu na sociedade. O surto de HIV no Brasil nos últimos anos é enorme! E ninguém tem falado sobre isso.

      Temos que abordar essas questões nas escolas e discutir a forma de fazer essa abordagem, precisamos reformular todo o sistema. Acho que educação sexual é muito mais do que um professor mostrar em um livro de ciências o sistema reprodutor masculino e feminino e um texto com um paragrafo sobre meia dúzia de doenças.

      Outro tópico que precisa ser debatido é a própria preferência sexual de uma pessoa. Se um jovem é LGBT+, ele tem que entender que ele não é uma aberração ou algo do tipo. Eu conheço LGBT+ que cometeu suicídio pela questão da aceitação social e da discriminação que sofreu. E sim, existe um bullying pesado dentro das escolas contra LGBT. De onde surge isso?

      É tudo uma questão de debate e que foi interditado nesse país com um discurso de "incentivo a homossexualidade e a promiscuidade".

      Quem usa redes sociais certamente já se deparou com aquela postagem "nossa, a GLOBO mostrando dois homens se beijando em horário nobre, que ofensa às famílias, incentivando isso". Ora pois, se alguém vê dois homens se beijando e a partir disso sente vontade de beijar um outro homem, bem... no mínimo é razoável supor que é um bissexual.

      Concordo que é uma questão de consciência individual, mas acho que as pessoas não tem a oportunidade de debater e acesso a informações sobre esse assunto da maneira que deveriam.

      Excluir
    4. Scant,

      A AIDS foi impactante até começo dos anos 2000. Hoje em dia a maioria das pessoas transa sem camisinha.

      A questão da gravidez não planejada é complicada. Se a pessoa usar camisinha na relação não vai engravidar, aí voltamos para aquela "Ah, mas camisinha estoura".

      Camisinha estoura? Sim, mas se for usada de forma incorreta. O problema é que a galera não sabe se quer colocar uma camisinha. E sinceramente não é igual aqueles exemplos de colocar preservativo em uma banana.

      Agora tem gente que fala que "camisinha tira o prazer", bom, aí é uma questão de gosto. Cada um é cada um, a pessoa pode pesar fatores na vida. Só torcer para que o único prazer sentido seja de uma transa casual no pelo e que ela não venha acompanhada com outros prazeres não tão desejados como gravidez e doenças.
      .
      Abraços,
      Pi

      Excluir
    5. Scant, eu sei que traições, prostituição etc são tão antigos como a história da humanidade.
      Não foi esse o meu ponto. O ponto é que até umas 2 gerações atrás o padrão eram pessoas terem relações após o casamento.
      Ao longo da história houve períodos onde essas regras eram afrouxadas e outros onde se intensificavam por uma série de questões, mas pensando nos últimos 150, 200 anos, a regra era sexo após o casamento. Traições, prostituição obviamente ocorriam, mas não eram algo socialmente bem visto.
      Hoje pessoas transam com desconhecidos que acharam em aplicativos e redes sociais. Ou pessoas se conhecem e depois de alguns dias tão trepando, vão morar juntos etc.
      Agora pergunto a você: Em qual cenário é mais provável de se acontecer gravidez indesejada ou DSTs?
      Houveram épocas onde o sexo era mais ou menos banalizado sim. Houveram épocas piores que hoje e melhores que hoje nesse sentido.

      PI não sou contra que se fale do assunto não. Mas no meu ponto de vista boa parte disso que falamos não se deve a falta de informação.
      Aqui mesmo na blogsfera há relatos de blogueiros se relacionando com mulheres que conheceram em aplicativos. Usam camisinha sempre? Não dá pra responder pelos outros nem generalizar, mas eu não acredito.
      Acho que na maioria das relações o casal nem cogita usar camisinha, talvez no início no caso de relações mais constantes, as vezes nem isso.
      A natalidade hoje está uns 90% ou mais nas mão das mulheres.
      E os homens por seu lado estão muito passivos e acomodados com isso. Veja quantos "acidentes", quantas pílulas esquecidas.
      Sim, parte de nossa população vem ao mundo por esquecimentos de suas mães, sem nem ao menos o conscentimento e comum acordo de seus pais, que erraram ao terceirizar a responsabilidade.
      E pelo que vejo a minha volta a maioria dessas relações não vai pra frente e essas crianças acabam sendo criadas pela avó ou ficam confinadas em creches desde a primeira infância.

      Excluir
    6. "até umas 2 gerações atrás o padrão eram pessoas terem relações após o casamento."

      1 - sou contra sexo apenas após o casamento: tem q fazer test drive antes de comprar

      2 - as pessoas sempre fizeram sexo antes do casamento, ainda que pessoas de duas gerações atras não admitam normalmente (muitos fizeram sexo anal, comeram coleguinhas dos mesmo sexo, comeram um sobrinho mais novo dentro de casa etc e depois tiveram casamento hetero. isso é pouco comentado...)

      Excluir
    7. "mulheres que conheceram em aplicativos. Usam camisinha sempre? Não dá pra responder pelos outros nem generalizar, mas eu não acredito."
      qual a diferença em conhecer uma mulhr num aplicativo, na igreja, na praia ou na escola? nenhuma

      comer de camisinha? sempre.

      e se comer sem? risco indeterminado de pegar doenças dar gravidez

      risco indeterminado: pode naõ dar nada ou dar em HIV

      Excluir

Memento mori...carpe diem!