16 setembro, 2021

De volta ao Analógico...

 

Foto de Wallace Chuck no Pexels
bons tempos antes de termos aparelhos "inteligentes"

Intro

"Consumir conteúdo online é excelente, o problema reside na INTENSIDADE desse consumo. Minha experiência própria: passei semanas escutando no excelente podcast “Resumo Cast” resumos debatidos de livros sobre autoajuda e empreendedorismo. Às vezes escutava 3 ou 4 resumos por dia, na velocidade 2x e, em poucas horas, parecia que tinha absorvido a nata de 4 best-sellers. Ledo engano. Até há pouco, assistia diversos vídeos no YouTube por dia e lia vários posts em blogs da internet (não sou fã de ler notícias da atualidade, mas poderia se aplicar).


O fato é que nosso conhecimento está cada vez mais RASO. Pare e reflita: é provável que você se lembre da mensagem de algum livro que leu há 15 ou 20 anos. A razão: você se aprofundou naquele livro; certamente o leu sem interrupções frequentes de um smartphone e, com certeza, não terminou dito livro e imediatamente começou a ler outro. Você aplicadamente concentrou esforços na leitura e, ao terminar, refletiu sobre ela. Quando foi a última vez que você assistiu a um interessante vídeo no YouTube, desligou seu celular e refletiu por alguns minutos sobre o mesmo? Pois é. Eu sei que você em seguida clicou noutro vídeo e, minutos após, esqueceu o que assistiu no tal vídeo interessante." (Aposente Cedo)




Em resumo, a internet deu errado em coisas demais.

Longe de servir como instrumento de educação, cada vez mais se torna um meio de alienação e embrutecimento mental.


Soluções no equilíbrio


A solução? Usar o mínimo possível a internet, sem deixar de aproveitar as melhores comodidades (fazer compras, consultar a conta corrente etc.)

Mais do que nunca, continua sendo importante privilegiar o livro físico, uma das poucas criações humanas que ainda permitem que você foque sua atenção sem ser interrompido por anúncios, notificações, atualizações do sistema 1.0, 2.0, 3.1111; você entendeu?

O kindle ainda é uma solução intermediária, porque tem acesso à internet e todos os problemas decorrentes disso.

vale a pena dar uma lida, estou lendo no kindle no momento,
mas como uso na rua fico sem acesso a internet. bem melhor assim para focar minha atenção.
Tenho pena de quem lê no celular e a todo segundo pode ser interrompido por uma notificação qualquer ou por algum atendente de telemarketing, mas nada supera o livro físico.

Halteres Mentais


O que pesos livres são para os músculos, bons livros são para a mente.

É caro, ocupa espaço, são elitistas: sim. Todo avanço é sempre reservado para uma pequena elite. Nesse caso, uma elite pensante. O povo em geral trabalha tanto que no meio da exploração nem tem tempo de dormir e muito menos de ler.


Sugadores de Atenção


Celulares, tablets e computadores são sangue sugas de foco.

Hoje, me parece que o ideal é usá-los o mínimo possível.


  • Atualização 1 - comprei uma calculadora justamente para parar de usar a do celular. Toda vez que ia fazer uma conta simples, aparecia alguma notificação de algum aplicativo e tirava minha atenção.

Conclusão


  • Livros são resumos da realidade (quando bem escritos).
  • Páginas da internet são resumos de livros ou da opinião sovaquiana, da axila, do autor cuja leitura é interrompida o tempo todo por uma distração de uma distração não desejada (distração ao quadrado ou ao cubo).
  • Evite que seu conhecimento venha apenas da internet e volte a ler livros
  • só o papel liberta (brincadeira!)

Grande abraço!

documentário "o dilema das redes":
sim, essa bosta foi planejada


P.s.: não deletei minhas redes sociais, mas demoro meses para atualizar alguma delas. Do jeito que o mundo anda, não duvido que apareça algum tipo de "passaporte de rede social" da mesma maneira que já há passaportes sanitários ou rankings de crédito
_____________________________________________


9 comentários:

  1. Olá, Scant.
    Nunca gostei de áudio-livro e acredito que na velocidade 2x é pior. É bom ver que um próprio consumidor da mídia concorda comigo. Mas, claro, para quem dirige em grandes cidades, deve ser uma mão na roda. Se bem que, ao dirigir, prefiro música. Depois, com calma, dá para ler em casa. Ler é uma atividade visual (porta de entrada da informação). É o que penso.
    Sabia que andei pensando sobre esses assuntos? Nos meios analógicos, nossa atenção não é desviada.
    Algo que venho tentando fazer, tb, mesmo ao ler no meio tradicional, é NÃO consultar celular ou tablet quando surge uma dúvida. Estou mantendo esses gadgets longe de mim quando leio, pois sempre ia retirar uma dúvida e acabava me distraindo com notificações de algo ou estendendo a pesquisa mais do que o necessários. E assim perdia a unidade da leitura.
    Estamos com muita informações, pouco conhecimento e quase nenhuma sabedoria. É o que me digo.
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ando pensando a voltar a usar tudo dedicado/monotarefa:

      1 microsystem ou semelhante para musicas com um headhone top
      1 pc sem internet pra emulações de games
      etc

      "perdia a unidade da leitura." parece que a unidade de atenção está cada vez mais rara

      abs!

      Excluir
  2. Acho que esta postagem te interessa: https://magodotempo.com/o-metodo-bullet-journal-uma-tentativa-de-organizar-tarefas/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=o-metodo-bullet-journal-uma-tentativa-de-organizar-tarefas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu li esse livro e tentei usar o método
      alguma coisa acabei incorporando, mas no geral é um bom método

      Excluir
  3. Valeu a citacao e rememorar o Post, Scant. Essa lembrança de viver um pouco mais no analógico para maior profundidade é algo que temos de lutar com frequência para que sigamos evoluindo.
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. por nada cara
      seu post foi muito bom
      a falta de atenção é a nova doença moderna

      abs!

      Excluir
  4. Olá, Scant.

    Gosto muito do analógico, apesar de ter nascido num mundo praticamente "virtual".

    Para exemplo dos livros, sempre achei muito melhor ler no papel, mas venho esbarrando em alguns problemas como espaço, dinheiro e qualidade. Existe muito livro ruim, muito livro bom caro demais e o espaço das casas atuais muitas vezes é inadequado.

    Acho que a internet está aí para ajudar, então venho baixando muitos livros. Minha solução está sendo cronometrar e sempre fazer rascunho nos livros que importam (para manter a concentração). Também gosto de ler com o F11 ligado no PDF, para não aparecer nada em volta. Só leio no papel romances, que costumam ser baratos devido as altas tiragens. Meu objetivo é diminuir a distração, é ela que ferra o estudo e a concentração.

    A propósito, existe algum post aqui no blog a respeito da sua rotina de estudos? Métodos que você usa para dividir o tempo entre as disciplinas?

    Abraços!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quanto a leitura de papel, foco nela durante a noite, quando a tela tende a atrapalhar o sono.

      Excluir
    2. " Meu objetivo é diminuir a distração, é ela que ferra o estudo e a concentração." verdade

      "F11 ligado no PDF" - quando posso, tento imprimir o pdf ou achar a versão física (as vezes sai barato na estante virtual)

      "a respeito da sua rotina de estudos? Métodos que você usa para dividir o tempo entre as disciplinas?"

      no passado, quando eu estudava para concurso, eu era cheio de esquemas tipo duas disciplinas diferentes por dia, calendário semanal de estudo, estudava pelo menos de 2 a 40 horas 5 ou 6 vezes por semana, ouvia aulas nadando ou no onibus etc. minha bíblia era o livro do william douglas sobre o tema. tb li gostei do alexandre meirelles e o do alex viegas, todos sobre como estudar pra concurso.

      hoje sou indisciplinado para isso. estudo e leio livros ou ouço palestras/aulas sobre os assuntos que me interessam no momento (o serviço público é um marasmo) - a única meta é ser feliz :)


      cara organizado é o Fabio Fortkamp (https://fabiofortkamp.com/tag/produtividade/)

      pessoalmente, estou cada vez mais analógico nesse momento e tenho mais prazer em escrever em um caderno os trechos que mis gosto de um livro a digitar em um post/formato eletrônico. tem algo na escrita/caligrafia que supera a digitação em termos de acionamento/estímulo do cérebro.

      acho que o cérebro humano ainda é analogico depois de 20 séculos vivendo do papiro ao papel

      "foco nela durante a noite, quando a tela tende a atrapalhar o sono." tem esse aplicativo https://play.google.com/store/apps/details?id=com.urbandroid.lux&hl=pt_BR

      inclusive uso esse aplicativo na televisão (via Mi Box rodando android)

      outra opção é esse (que comecei a testar nesse momento):
      https://justgetflux.com/news/pages/v4/welcome/




      Excluir

Memento mori...carpe diem!